Dead Kennedys – Bedtime For Democracy (1986)

  Há 30 anos os Kennedys lançavam seu último disco de estúdio e cuspiam (ou vomitavam, tanto faz) em direção à cara de todos os vermes: governo, militares, igreja, machistas, imprensa, indústria (do entretenimento) e por aí afora. Era o canto do cisne de uma banda que nasceu politizada e assim morreu. Bedtime for democracy…

Os Replicantes – O Futuro É Vortex (1986)

  Os Replicantes foram a primeira banda punk nacional que eu realmente gostei, justamente pelos motivos que levaram um sem número de punks a odiarem os gaúchos: eles não se pareciam com os punks que eu ‘conhecia’, com seus moicanos, coturnos e correntes; e suas letras eram qualquer coisa longe da pregação vazia dos anarquistas…

Mercenárias – Cadê As Armas? (1986)

  Como muitas das bandas mais bacanas da cena brasileira dos anos 80, as Mercenárias tiveram vida curta e o reconhecimento só veio muitos anos depois, principalmente com o crescimento da internet. Cadê as armas?, primeiro disco da banda formada ainda no começo da década perdida por Sandra Coutinho, Rosália e Ana Machado – com…

Os 30 Anos Do Mítico Cassete C86, Da NME

  Há um milhão de anos atrás, nas décadas de 1980 e 1990, algumas revistas bacanas de música bacana tinham o saudável hábito de anexar em suas edições fitas cassete, vinis e posteriormente CDs com coletâneas, raridades e, claro, novidades contidas em suas páginas. O semanário inglês New Musical Express encabeçava essas publicações, e entre…

Ira! Vivendo E Não Aprendendo (1986)

Juro que ia escrever um textão sobre Vivendo e não aprendendo, cheio de informações relevantes, com bastante pesquisa, detalhes técnicos, curiosidades, análises e outras baboseiras jornalísticas. Mas caralho, apertei o play, todos os planos foram por água abaixo e o que sobrou vocês vão ter ler logo abaixo. Ou não, como diria o baiano. Junto…

Cocteau Twins – Victorialand (1986)

  Há exatos 30 anos, em 14 de abril de 1986 o Cocteau Twins lançava seu quarto disco, Victorialand, e o mundo revia seu conceito de música etérea. Gravado sem a presença do baixista Simon Reynolds, empenhado no segundo álbum do This Mortal Coil, este é – obviamente devido a essa ausência – um vôo…

Kraftwerk – Electric Cafe (1986)

Electric cafe, o nono disco do Kraftwerk, começou a ser pensado em 1982 mas só ganhou vida em 1986, quando muitas das crias do grupo alemão já tinham popularizado a música das máquinas. Os blips e blóins já não eram então estranhos e/ou desconhecidos das massas, e a demora em apresentar o sucessor de Computer…

Sonic Youth – Evol (1986)

Em maio de 1986 os preferidos da casa Sonic Youth lançavam seu terceiro álbum, Evol, e assim davam um passo enorme em direção ao futuro onde se tornariam expoentes do rock independente e colocariam mainstream e underground sob o mesmo teto de dissonâncias, distorções e experimentações barulhentas – inacreditavelmente – aliadas a um senso melódico…

Spacemen 3 – Sound Of Confusion (1986/1994)

  Em 1986 o mundo estabelecia oficialmente contato com o Spacemen 3. Oficialmente porque desde 1982 Sonic Boom (nascido Peter Kember) e J Spaceman (nascido Jason Pierce) já caminhavam pela Inglaterra sob esse nome, e após trazerem Rosco e Pete Baines para sua nave, passaram alguns anos experimentando substâncias musicais até que finalmente chegaram a…

Discos Na Íntegra: Especial Ira!

Gravação: 1985/1986/1987/1988 Lançamento: 1985/1986/1988 Gravadora: WEA Mudança de Comportamento 1985 Faixas: Longe de Tudo Núcleo Base Mudança de Comportamento Tolices Coração Saída Ninguém Precisa da Guerra Por Trás de Um Sorriso Como os Ponteiros de Um Relógio Sonhar Com Quê? Ninguém Entende um Mod! Vivendo e Não Aprendendo 1986 Faixas: Envelheço na Cidade Casa de…

Legião Urbana – Dois (1986)

2011 marca os 15 anos da morte de Renato Russo, líder de uma das bandas mais amadas e odiadas do Brasil, a Legião Urbana. À época, em 96, eu renegava a banda, como tantos e tantos ‘alternativos’ faziam e ainda o fazem. Mas a verdade é que salvo raríssimas exceções ninguém cresce já gostando de…