Ira! Vivendo E Não Aprendendo (1986)

Juro que ia escrever um textão sobre Vivendo e não aprendendo, cheio de informações relevantes, com bastante pesquisa, detalhes técnicos, curiosidades, análises e outras baboseiras jornalísticas. Mas caralho, apertei o play, todos os planos foram por água abaixo e o que sobrou vocês vão ter ler logo abaixo. Ou não, como diria o baiano.

Junto com Dois (da Legião), Cabeça Dinossauro (dos Titãs) e o primeiro do Violeta de Outono, este disco é um dos pilares da minha educação; não só a musical, mas intelectual, sentimental, tipo formador de caráter mesmo. Devo tanto às incontáveis tardes ouvindo suas 10 músicas, à cantar “Dias de luta” junto com os amigos, à dançar “Vitrine viva” nas festinhas que porra! Depois vieram Joy Division, Sonic Youth e tudo mais, mas antes teve o ginásio, as primeiras garotas, os primeiros livros ‘pra valer’, as primeiras ideologias e discussões, tentativas de grêmio estudantil, fanzines, poemas e rebeldias.

Fechar os olhos e ouvir os primeiros acordes de “Envelheço na cidade” é como voltar no tempo, não porque Vivendo e não aprendendo soe datado, aliás isso é o que menos importa aqui. Impossível conciliar razão e emoção neste caso, impossível fazer uma reflexão fria sobre os pouco mais de 30 minutos do álbum, seus riffs e letras, impossível ao menos pra mim. Porque quando me sinto assim, volto a ter 15 anos…

Anúncios

Um comentário sobre “Ira! Vivendo E Não Aprendendo (1986)

  1. Pingback: The Smiths – The World Won’t Listen (1987) | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s