Especial PCP – Indie BR Anos 90 (Parte 1)

Hoje o PCP começa a prestar uma pequena homenagem aos heróis que nos anos 90, sem internet, estúdios caseiros baratos ou os aparatos tecnológicos que hoje proporcionam comodidades (como enviar e receber músicas por email/ftp/etc) fizeram acontecer algo próximo ao que se pode chamar de cena.

Se nos anos 80 lugares como o Madame Satã foram berço para muitas bandas que depois cairiam no gosto popular (os Titãs são um bom exemplo), nos 90’s as coisas foram diferentes.

Os buracos underground – como o Retrô e posteriormente o Der Temple, o Urbânia, etc – serviram de lar para uma porção de grupos pioneiros no rock de guitarras. Só que estes nunca ficaram famosos e ricos (pelo menos não com a música), mas sua importância para a formação de muitas das bandas que hoje são parte do cenário independente é monstruosa.

20 anos depois…

O Pin Ups surgiu em São Paulo ainda nos anos 80, com Zé Antonio (Algodoal), Luiz Gustavo e Marquinhos. São cultuados até hoje como a primeira guitar band brasileira, contemporâneos de tudo que rolava no lado b do hemisfério norte (shoegaze, dream pop, madchester, etc). Durante os anos 90 passaram por muitas transformações, com mudanças de line up (a maior delas a entrada da Ale Briganti) e de sonoridade, indo do barulho ao indie pop.

Time will burn é a estreia da banda, lançado em vinil pela Stilleto em 1990. Tem muito de Jesus and Mary Chain, mas tem também os wah wah que marcaram as bandas de Manchester, vocais à Velvet Underground…É um disco sujo, mesmo quando não é barulhento (“Hard to fall”, “Thousand times”). Verdadeira pedra fundamental do rock alternativo nacional.

Killing Chainsaw ao vivo no junta tribo de 93. Lendário!

Vindo direto de Piracicaba, o Killing Chainsaw é outra força mítica da cena indie dos anos 90, movida ao mesmo tempo à distorções e melodias. Lançaram dois álbuns e se separaram, e de suas cinzas surgiu outra ótima banda, o Grenade.
Killing chainsaw, o álbum, saiu em 92. Menos sujo que o debute do Pin Ups, é por assim dizer mais trabalhado, com experimentações de guitarra e vocais mais melódicos à Sonic Youth. Tive a oportunidade de vê-los ao vivo apenas duas vezes, uma delas no Junta Tribo (lendário festival que aconteceu na Unicamp em 93 e 94, onde também tocaram Pin Ups e uma porção de gente boa). Clássico, no mínimo.

O Second Come sentindo como se não soubesse o que está fazendo

Os cariocas do Second Come chegaram a estar capa da Bizz e tocar no rádio, mas duraram apenas dois álbuns. You (lançado pelo finado selo Rock it!), o primeiro deles, é urgente, nervoso, um esporro sonoro à base de guitarras e garganta.

Acelerado, o disco é seco, direto. “Run run”, a terceira faixa, é quase um hino para a geração 90’s, assim como a cover de Madonna “Justify my love”. Ao vivo, eles eram selvagens e muito barulhentos.

Dream pop brasuca

Encabeçado pelos irmãos Giulliano e Giovanni, o Low Dream surgiu em Brasília no comecinho dos anos 90, e é dessa primeira geração de guitar bands nacionais a que mais se aproxima(va) do shoegaze/dream pop, com guitarras distorcidas ao talo e vocais etéreos.

Seu primeiro álbum, Between my dreams and the real things saiu também pela Rock it!, em 94. Hipnótico e derretido, é construído sobre uma sólida base de guitarras e traz clássicos do shoegaze brasileiro, como a preferida da casa “Sugar drops (song for a fairy)”. Essencial!

_____________________________________________________________________________________________________

PS: Em breve – ou talvez nem tanto – vai ao ar a segunda parte deste pequeno especial. Não deixe a história morrer! Compartilhe!

9 comentários sobre “Especial PCP – Indie BR Anos 90 (Parte 1)

  1. Pingback: Revolver – Demos 1990 – 91 (2012) « PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

  2. Pingback: Second Come – Old Shoes (1991) | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

  3. Pingback: Após 22 anos o Second Come volta com um novo single. Ouça “Oppenheimer Regret” | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

Deixe uma resposta para francisco aurélio Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s