The Sorry Shop – Softspoken (2017)

 

Transformar distorções em música é fácil: cria-se uma base e sobre ela se adiciona camadas e mais camadas de ruídos diversos gerados pelas incontáveis ferramentas capazes de levar um simples acorde de guitarra a outras esferas sonoras. Mas fazer desse barulho algo capaz de emocionar é um ponto onde poucos artesãos conseguem chegar.

O gaúcho Régis Garcia é um desses seres iluminados, herdeiro direto do mestre Shields e responsável pelos trabalhos que tornaram sua banda, a Sorry Shop, o supra-sumo do shoegaze nacional e – como já dito aqui antes – um dos grandes representantes globais do gênero.

Softspoken é o último registro do grupo, lançado ano passado via Lovely Noise/Crooked Tree. Nele o quinteto de Rio Grande desacelera e mergulha ainda mais fundo no universo de sonhos borrados por efeitos e vocais distantes que caracteriza o chamado dream pop, irmão siamês e chapado do shoegaze. Cada uma das 11 faixas do álbum vem recheada com essa combinação onírica e coberta por uma melancolia fria e quase palpável nas entorpecentes, tristes e belas “Rosetta” e “Green”.

Disco irrepreensível e altamente recomendado!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s