The Smiths – Meat Is Murder (1985)

Para fãs xiitas dos Smiths, que por sinal são a grande maioria, qualquer um dos discos do quarteto de Manchester tem o mesmo peso, é maravilhoso, irretocável, etc, etc, etc.

Eu não sou desses fãs. Gosto muito da banda, mas pra mim Meat is murder, segundo disco deles, só não é pior que Rank, o último. De qualquer forma, o fato dele ter completado 30 anos ontem não poderia de forma alguma passar em branco apor aqui. Porque em Meat is murder está “How soon is now?”, e essa música, sozinha, vale mais que muitos e muitos álbuns de qualquer época.

Claro, nem só de “How soon is now?” vive Meat is murder. “The headmaster ritual” e “Barbarism begins at home” são duas boas faixas, que ajudam a segurar os arrastados 46 minutos do disco. Ok, ele é melhor produzido, é por assim dizer mais diversificado que o ótimo The Smiths (de 84), mas sim, é arrastado. De uma forma geral, falta-lhe a alma e a intensidade que os Smiths mostrariam ter de sobra um ano depois, com o preferido da casa The queen is dead.

De qualquer forma lá se vão 30 anos, Morrissey e Marr continuam na ativa, cada um no seu mundo, e os fãs xiitas dos Smiths continuam se proliferando – invariavelmente louvando os discos solo do Mozz e praguejando contra os de Johnny – e “How soon is now?” continua como uma das melhores músicas de todos os tempos. Ah, o aniversário é de Meat is murder…foi mal!

Um comentário sobre “The Smiths – Meat Is Murder (1985)

  1. Já me disseram mais de uma vez que gosto é algo muito particular e que não se discute; verdade verdadeira. Mas algumas considerações devem ser feitas por aqui.

    Acho o Meat is Murder um dos melhores álbuns da banda, e devo dizer, você não compreendeu exatamente a proposta.
    Esse álbum não deve ser apenas ouvido, ele é pra ser pensado, debatido. Foi produzido pra gerar reflexão, mesmo.
    Repare que, diferente do The Smiths, o tema central das músicas no Meat is Murder não é a ambiguidade sexual nem nada do tipo. Todas as músicas do álbum de 1985 se entrelaçam de alguma forma, gerando um debate político seja sobre a realeza britânica, a violência nas escolas, a violência doméstica, a violência nas feiras, o direito dos animais.
    Curiosamente, foi por uma determinação unilateral da Sire Records que “How Soon is Now?” foi metida no Meat is Murder. Originalmente, ela não era pra estar neste álbum. Ele já havia saído como lado B de “Wiliiam” e no “Hatful of Hollow”. Até hoje o Morrissey acha que ela destoa do resto do álbum. E ele tem razão.

    Enfim, o Meat is Murder é um manifesto. Só partindo dessa perspectiva é que nós podemos dar o verdadeiro e merecido valor ao Meat is Murder.
    o/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s