Beck – Morning Phase (2014)

Seis anos após Modern guilty, Beck está de volta com um novo trabalho. Após pôr em prática o Record Club, lançar singles, produzir discos de Thurston Moore e Stephen Malkmus e por aí afora, o californiano lançou em 25 de fevereiro – via Capitol – um álbum que segundo ele é inspirado na música…da Califórnia.

Com vocês, Morning phase.

O disco começou a ser pensado, mesmo que inconscientemente, em 2010. Em 2012 Beck ‘montou’ Morning phase em apenas três dias, e passou o resto do ano trabalhando em suas 13 faixas, até ter em mãos o produto final.

Em sua cabeça o álbum faz par a Sea changes, de 2002, e é inspirado em artistas como Neil Young, Byrds, Crosby Stills & Nash, enfim, em grandes nomes da música californiana (sim, sabemos que Mr. Young é canadense).

Influências, localidades e comparações à parte, Morning phase é um disco lento, melancólico, triste como uma dor de cotovelo e com (belíssimas) canções atmosféricas cunhadas entre o folk (mais) e o country (menos).

Se é um bom álbum? Depende muito de sua pegada e de sua história com Beck, já que é introspectivo e anos-luz distante de Odelay, Midnight vultures e Guero, por exemplo. Mas é inegavelmente muito bem produzido e cai como uma luva para acompanhar corações partidos em momentos de solidão movidos à uma bebida bem forte.

Recomendado!

Anúncios

Um comentário sobre “Beck – Morning Phase (2014)

  1. Pingback: Especial – Os Melhores Álbuns Internacionais De 2014 | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s