Nick Cave & The Bad Seeds – Let Love In (1994)

 

Juro que pensei em escrever um longo texto sobre os 20 anos de Let love in, porque foi com três de suas faixas, as épicas “Do you love me” e “Loverman” mais a punk “Thirst dog”, que descobri Nick Cave, ali por volta das minhas 18 primaveras em alguma madrugada insone assistindo ao reverendo Fabio Massari e seu Lado B.

Mas infelizmente – ou felizmente, dependendo do ponto de vista – o tempo corre contra as atualizações no Pequenos Clássicos Perdidos, e textos longos acabam sendo substituídos pela falta de palavras, palavras estas engolidas pela necessidade capitalista de ganhar dinheiro para pagar as contas. O blogue acaba ficando invariavelmente em segundo plano.

Lamúrias à parte, da fatídica descoberta até hoje Mr. Caveman permanece como companheiro fiel das noites insones (Push the sky away, seu último álbum, está em nossa lista dos melhores discos gringos de 2013), acompanhando a depressão mais profunda, a paranoia mais devastadora e, por que não, a felicidade mais honesta.

Antes e após Let love in Cave e suas sementes ruins cravaram (e continuam cravando) uma série de espinhos nas vísceras da música, tratando o amor e tudo que o envolve (pense bem, não são poucas coisas) como um teatro caótico, sujo e selvagem. E graças a ele eu me sentei na primeira fila deste teatro, de onde não sairei até o apagar das luzes.

Ain’t gonna rain anymore

 

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s