Os Mutantes – Mutantes (1969)

Quem dedicar tempo a uma pesquisa séria sobre a psicodelia tupiniquim vai se deparar com muita coisa obscura produzida fora do eixo central que era a Tropicália. Entre o final dos anos 60 e a metade dos 70 (pra falar do período ‘original’), muitos se embrenharam pelo universo lisérgico de Barrett e cia. Mas ninguém era tão foda quanto os Mutantes em seu segundo disco, de 69.

Ninguém tinha o humor de Rita, Arnaldo e Sérgio, ninguém experimentava tanto (ácido) quanto eles, ninguém tinha um irmão como Cláudio, o quarto Mutante, responsável por tornar reais as viagens do trio – o cientista maluco que abastecia os malucos com suas criações eletrônicas; e ninguém tinha Rogério Dupat fazendo os arranjos orquestrais. Quer dizer, Gal Costa tinha, e outros contemporâneos também, mas a mágica e algo mais, só Os Mutantes.

Obviamente você não é obrigado a concordar com este pequeno texto, pode ser do contra, refutar, apontar outros álbuns, se mostrar reticente em relação a tudo. Mas, neste caso, também é óbvio que você nunca sentiu um ácido bater enquanto ouvia “Fuga n° 2”, então…aos demais, boa viagem!

Essencial!

 

 

Faixas:

Dom Quixote
Não Vá Se Perder Por Aí
Dia 36
2001
Algo Mais
Fuga nº2
Banho de Lua
Rita Lee
Mágica
Qualquer Bobagem
Caminhante Noturno

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s