Gordons – Future Shock / The Gordons / Volume 2 (1980 / 1981 / 1984)

  O Gordons existiu por pouco tempo, e em sua breve e explosiva existência foi o lado mais obscuro, caótico e barulhento da prolífica cena musical independente neozelandesa do começo dos anos 80 encapsulada pela Flying Nun Records. Surgiram na cidade de Christchurch em 1980 e cinco anos depois implodiriam para depois renascerem como Bailter…

CHBB – CH – BB (1981/1998)

  CHBB foi um projeto de vida curtíssima formado e encerrado pelos monstros Chrislo Haas e Beate Bartel (daí o nome CHBB) em 1981 na cidade de Düsseldorf. Caso desconheça ou não ligue os nomes às pessoas, (o saudoso) Chrislo fundou as bandas D.A.F e Der Plan além de tocar no Crime & The City…

Sonic Youth Live @ Austin 1995 / Dallas (2006)

  Na última semana, mais exatamente em 05 de novembro, os aposentados-porém-não-inativos Sonic Youth disponibilizaram em seu Bandcamp duas apresentações registradas em 1995 e 2006, ambas no Texas e respectivamente nas cidades de Austin e Dallas. Os shows que se tornaram álbuns ao vivo foram lançados junto a camisetas oficias como forma de arrecadar fundos…

Disk-Putas – Morte Aos Titãs (1993)

O Disk-Putas é daquelas coisas sensacionais, inexplicáveis e anárquicas que surgem como frutos de noites insanas e que, como essas noites, desaparecem rápido mas ficam na memória. Formado pelo hoje DJ e produtor de techno Renato Cohen (bateria), Priscila Farias (baixo), Dora Longo Bahia (guitarra) e contando com os vocais (berros) da eterna Marcelona, o…

Irmão Victor – Cronópio (2018)

  Faz um tempo que descobri, aleatoriamente, o trabalho insólito do Irmão Victor, pseudônimo do gaúcho Marco Benvegnú. Estava escutando alguma coisa no Bandcamp, não me lembro exatamente o que, e apareceu como sugestão um disco chamado Passos simples para transformar gelatina em um monstro e, porra, não dava pra passar uma parada com esse…

The Velvet Underground – The Velvet Underground (1969)

  Qualquer um dos quatro álbuns do Velvet Underground funciona como uma experiência única, cada um com sua (i)lógica representando os diferentes momentos da curta vida da banda, e escutá-los na sequência de lançamento é sentir essas transições quase fisicamente. Colocando as coisas dessa forma, do caos de “European son” para a violência de “White…