Jupiter Apple – Plastic Soda (1999)

Me lembro vagamente das primeiras audições de Plastic soda, segundo disco do saudoso Flávio Basso, antes Júpiter Maçã e aqui Jupiter Apple, muito provavelmente por estar tão chapado à época quanto ele. Mas por outro lado tenho grandes recordações de um dos shows que vi dele, num bar em SP chamado Borracharia. Era começo dos…

Tantão E Os Fita – Drama (2019)

  Numa época em que se vê e ouve muito por aí coisas do tipo ‘música e política não devem se misturar’ é gratificante ver artistas indo na contramão desse pensamento (pensamento?) e cravando obras críticas, necessárias. Tantão e os Fita, que em 2017 lançaram o ótimo Espectro, voltam à carga agora em 2019 com…

Liars – Liars (2007)

  Eu conheci o Liars exatamente em 2007, exatamente com esse disco, e achei que a discografia anterior deles era exatamente igual. Não podia estar mais enganado. Não sei se por sorte ou azar (ou nada disso) acabei por descobrir a banda do Brooklyn quando eles decidiram fazer um ‘álbum pop’. Me amarrei absurdamente em…

The Pop Group – Y (1979)

O excêntrico Mark Stewart formou o Pop Group em Bristol, em meio a onda punk que varria a Inglaterra e o mundo em 1978, mas embora ‘inserido’ na cena não se identificava com a história dos quatro acordes. Seu buraco era mais embaixo, definitivamente. Em comum com alguns de seus contemporâneos, a veia política saltada,…

Rakta – Falha Comum (2019)

  Falha comum, novo disco do trio paulistano Rakta, consolida a banda como uma das coisas mais instigantes e intrigantes do atual cenário alternativo da música mundial. Lançado no dia da mentira e distribuído por quatro selos diferentes (Nada Nada e Dama da Noite no Brasil, La Vida Es Un Mus na Europa e Iron…

Low – Double Negative (2018)

  2018 marca os 25 anos de carreira do casal Mimi Parker e Alan Spearhawk sob o nome Low e a chegada de seu décimo-segundo disco, Double negative. Numa ‘linha do tempo natural’, poderia-se esperar do álbum um apanhado do que eles fizeram neste quarto de século, se não um ‘best of’, algo do tipo,…

Wire – Chairs Missing (1978)

  Os três primeiros discos do Wire, lançados entre 77 e 79, são o supra-sumo da transição entre o punk e o pós-punk britânicos, mas a meu ver é Chairs missing, segundo deles, o momento angular dessa tríade. A adição de sintetizadores via Myke Thorne – produtor do ábum – por si só já deixa…

Os Mutantes – Os Mutantes (1968)

  Em 1968 um sem número de discos transformadores foi lançado. A psicodelia recém-nascida encharcava com LSD o cérebro da juventude colorida e servia como combustível para bandas de rock mundo afora, inclusive no brasil varonil dos insuportáveis intelectuais da mpb. Como já escrevi por aqui ninguém – ou ao menos ninguém que eu conheça…