Grauzone – Die Sunrise Tapes (1998)

 

A primeira vez que ouvi o Grauzone foi – como creio ter sido com todos – através de “Eisbär”, um dos quatro singles que a banda suiça lançou em sua curta vida. Pra quem os desconhece, surgiram em meio ao turbilhão pós-punk do final dos anos 70 em Berne, mas desde sempre foram associados à cena alemã.

Como dito logo acima, lançaram poucos singles, apenas um disco cheio e fizeram míseros dez apresentações antes de darem um fim à banda. O que roda em nossa vitrola virtual hoje é o citado primeiro, homônimo e único álbum deles (de 1981), acrescido de seis faixas e posto no mercado em 1998 sob o nome Die sunrise tapes.

Além de “Eisbär”, música absurda que colocou o Grauzone em evidência, essa coletânea traz várias outras antenas da época. Da proximidade às catacumbas góticas em “Maikäfer flieg” à animação new wave de “Träume mit mir”, do pós-punkão clássico e seco (“Schlachtet!”) à um Suicide mais ~iluminado~’ (“Ich lieb sie”), as ‘fitas do sol nascente’ são mais uma amostra do quão foda e sem amarras era o lado b da música naquela virada de década.

Essencial!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s