Placebo – Without You I’m Nothing (1998)

 

O Placebo surgiu na metade dos anos 90, época em que tanto o britpop – onde foram rotulados – quanto o grunge já tinham atingido seu auge e vinham descendo a ladeira, então ficaram ali meio por fora ‘de tudo’, e talvez por isso tenham conquistado um público fiel e se tornado uma das bandas mais interessantes daquele período (e ainda na ativa).

A androginia de Brian Molko, sua postura e as letras provocativas sobre sexo, sexualidade e drogas serviram como uma luva à uma juventude cansada de testosterona e caretice mid-90’s. E seu segundo álbum, Without you I’m nothing, que acaba de completar 20 anos, é cheio disso tudo e traz na fórmula ainda mais referências ao glam que seu homônimo e acelerado antecessor.

Três singles (“Pure morning”, “You don’t care about us” e “Every you every me”) elevaram ao cubo o suceso que atingiram com “Nancy boy”, e de repente ‘a banda de freaks feita para freaks’ ganhou o mundo e o tornou – ainda bem – um lugar mais…freak. “Evil dildo” define ❤

‘I will fuck you up the ass
and I will sneak into your room and cut your cock off
and stuff it in my mouth
and chew it up with my little teeth’

 

2 comentários sobre “Placebo – Without You I’m Nothing (1998)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s