Tape Waves – Distant Light (2018)

 

Há dois anos quase exatos eu escrevi aqui um pequeno texto sobre como, às vezes, temos a necessidade de um disco/música para determinado momento mas não sabemos exatamente o que precisamos. À ocasião, a bola da vez foi Here to fade, o delicioso penúltimo álbum da dupla Tape Waves.

E hoje, 24 meses e 7 dias depois, passei exatamente pela mesma situação e, acreditem, quem me surge como um bálsamo em meio ao caos dos últimos tempos? Sim, numa dessas coincidências cósmicas Kim e Jarod Weldin mais uma vez me salvam de um colapso nervoso, desta vez com seu mais recente trabalho, Distant light.

O disco saiu via Bleeding gold/2670 Records e tem nove faixas que fluem da forma mais tranquila e cristalina que o dream pop pode fluir. Você aperta o play em “Turning in” e de repente o mundo se torna um lugar melhor pra viver, onde a equação entre dias felizes e melancólicos é perfeitamente equilibrada, sem exageros pra nenhum lado da balança. Simples assim.

Para sonhadores!

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s