Rita Lee & Tutti Frutti – Atrás Do Porto Tem Uma Cidade (1974)

Rita Lee anunciou recentemente sua aposentadoria dos palcos, justificando que a saúde já não permite mais as apresentações ao vivo. Mas garantiu que não é sua retirada da música, e que ainda tem material para vários discos. Salve, Rita!

Hoje, 25 de janeiro, São Paulo completa 458 anos, e o PCP escolheu um dos muitos discos da carreira da tia doidona – pós-Mutantes – para homenagear Sampa, já que esta é sua terra natal (já prestou atenção ao sotaque dela? Ôrra, meuô).

 

 

Atrás do porto tem uma cidade, lançado em 74 pela Polygram, é o primeiro álbum de Rita sem os irmãos Baptista (Arnaldo e Sérgio) no background. Agora com sua própria banda, a Tutti Frutti, ela deu vazão às ideias rechaçadas pelos Mutantes e escancarou seu lado Bowie, completamente glam, menos psicodélico, mais pesado e dançante.

É, enquanto os Mutantes derretiam seus cérebros com LSD e ficavam cada vez mais progressivos e chatos, Rita Lee ia além, fazendo rock como ninguém fazia no Brasil (como sempre, à frente de seu tempo), atrevida, desafiando a testosterona vigente, de botas prateadas e vibes bicudas.

 

 

As 10 faixas do disco são clássicos do rock tupiniquim, e a balada de piano “Menino bonito” fez bastante sucesso. Mas o bicho pega mesmo em pedradas como “De pés no chão” (com um sax matador), “Mamãe natureza”, “Pé de meia” (puro Stones) e “Ando jururu”, pra citar quatro.

Se você tem este álbum, ouça-o hoje, bem alto, em homenagem a SP (deixe os outros reclamarem que aqui não existe amor). Se não tem e/ou não conhece, o PCP quebra seu galho – mesmo correndo riscos – e joga Atrás do porto tem uma cidade em suas mãos.

Viva São Paulo! Viva Santa Rita Lee!

4 comentários sobre “Rita Lee & Tutti Frutti – Atrás Do Porto Tem Uma Cidade (1974)

  1. boa lembrança, veio a calhar.

    tenho o vinil deste disco, roubado da coleçao de um tio e to na pilha de preparar uns edits com ele de base.

    keep on with the good work.

  2. Pingback: Andréia Dias – Prisioneira Do Amor (2015) | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

  3. Disco sensacional ! … uma pena que tão pouca gente o conheça. Excelente qualidade, um som glam, pesado, dançante, muitas faixas bem ao estilo dos Stones. Letras inteligentes e muito bem feitas. Rita ficou anos-luz à frente das chatices que os Mutantes ficaram fazendo sem ela na banda.

Deixe uma resposta para joao barbosa Cancelar resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s