No Age – Everything In Between (2010)

Dizem por aí que Dean Allen Spunt e Randy Randall perderam algo entre Nouns (2008) e seu último álbum Everything in between. Vocês viram este algo por aí? Eu também não.

A ex-dupla hoje trio No Age chega a seu terceiro disco – lançado pela Sub Pop em setembro – adicionando e não subtraindo. Todo o barulho gerado por bateria e guitarra em Weirdo rippers (2007) conta agora com samples, loops e sintetizadores. O resultado? Mais experimentalismo.

Estão mais pop? Não! Apenas deixaram fluir nas 13 faixas de Everything in between algo que sempre tiveram em si, mais melódico, mas nada convencional. Assim como suas influências (My Bloody Valentine, Pavement, Sonic Youth, Ramones) o No Age tem escondido na manga mais do que apenas barulho por barulho, e agora este ‘que’ veio à tona.

Mas não espere limpeza, produção acurada ou solos de guitarra; as distorções ainda são a base do molho. “Life prowler”, “Fever dreaming” ou a onírica – dream-punk? – “Sorts” estão aí para confirmar.

Um grande passo evolutivo na carreira dos vegans de Los Angeles, que agora mas que nunca são preferidos da casa.

Recomendado!

Anúncios

Um comentário sobre “No Age – Everything In Between (2010)

  1. Pingback: No Age – An Object (2013) | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s