Cornelius – Fantasma (1997)

 

O músico Keigo Oyamada é parte de uma ‘cena cultural’ japonesa que ficou conhecida como Shibuya-Kei ou Sibuya style, nome tirado de uma região hipster de Tóquio (Shibuya) que nos anos 90 reunia ‘gente descolada’ em torno de lojas de música e (principalmente) de roupas e acessórios.

Sob a alcunha Cornelius, o sujeito que antes era metade do duo Flipper’s Guitar começou a gravar e lançar discos na metade daquela década, e em 1997 cravou um dos álbuns mais interessantes e estranhos daquela década cheia de discos interessantes e estranhos.

 

 

Fantasma saiu originalmente pelo selo de seu criador, Trattoria, mas quando a Matador pôs o biscoito nos EUA Cornelius – que já era bem conhecido no Japão – quebrou as barreiras geográficas da mesma forma que quebrou padrões musicais nas 13 faixas do disco, chegando inclusive no Brasil pela finada Trama a preço de banana.

De “Mic check” a “Fantasma” há de tudo um pouco aqui: de hip hop à barulheira shoegaze, de trilha sonora de desenho animado à música brasileira e eletrônica; não há no álbum limites para as loucuras de Cornelius. Essa falta de amarras e os ‘excessos’ experimentais muito provavelmente foram as razões que afastaram Oyamada do sucesso de seus contemporâneos/conterrâneos Pizzicato Five, mas são também – aí com certeza – fatores que fazem de Fantasma um dos álbuns mais interessantes e estranhos dos interessantes e estranhos anos noventa.

Staaar fruuuits surf riiider 🎵

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s