1966: Muito Prazer Planeta Terra, Meu Nome É David Bowie

Na metade dos anos 60 David Bowie ainda não era ‘o’ Bowie, mas sim um cantor adolescente com o sonho de ser um grande artista, que vivia de banda em banda, gravando canções que não o levavam a lugar algum, correndo atrás de empresários, enfim, pulando de galho em galho para tentar atingir as estrelas.

Até que em 1965 o jovem Davie Jones decidiu mudar seu nome artístico e assim criar o alienígena que todos nós amamos e sempre amaremos. Mas lembrem-se, ainda era 1965, e a dominação da terra só viria anos mais tarde, então do que se trata realmente este post?

A história é a seguinte, irmãos e irmãs: por mais que a internet seja uma fonte sem fim de informação, quando se passa os olhos por ela pesquisando a discografia de Bowie, vemos que ela começa oficialmente em 1967. Mas antes disso, além de singles com as bandas das quais fez parte, David gravou entre 65 e 66 algumas músicas para a Pye Records (responsável pelos primeiros discos dos Kinks), canções essas que não o fizeram decolar e justamente por isso ficaram ali meio esquecidas. Meio.

Porque já em 72 o selo quis pegar carona no sucesso de seu antigo artista e lançou o EP For the collector – Early David Bowie, com 4 das 6 faixas que Bowie havia gravado por lá (uma delas, “Can’t help thinking about me”, saiu em janeiro de 1966 e foi o primeiro single com o nome David Bowie na capa).

Esse mesmo EP foi relançado um sem número de vezes em diversos formatos e com diferentes nomes, até que em 1999 a Essential compilou-o novamente, adicionando mais duas músicas e colocando-o no mercado sob o título I dig everything: The 1966 Pye singles, que é justamente o disquinho que roda em nossa vitrola virtual agora.

Obviamente não há como comparar as seis canções presentes aqui com o que Bowie viria a fazer alguns anos mais tarde; por outro lado, a pegada à Kinks/Who que as marca foge também do blues e do namoro com a soul music de suas bandas anteriores. Ou seja, o cara SEMPRE foi um mutante, mesmo quando ainda nem sabia disso. E há distantes 50 anos acenava pela primeira vez ao nosso pequeno planeta cinza.

Enfim, tudo isso é só pra dizer que sentimos muito sua falta, David, e que continuaremos a ouvir sua música e o homenagear até o fim dos tempos. E além dele, até as estrelas se apagarem.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s