Smack – Ao Vivo No Mosh (1985)

A história do Smack se entrelaça com a de muitas outras bandas do subterrâneo paulistano dos anos 80. Em sua formação estavam Sandra Coutinho (Mercenárias), Thomas Pappon (Voluntários da Pátria, Fellini), Edgar Scandurra (Ira!) e Sérgio Pamplona, o Pamps, que tocou com Itamar Assumpção, começou o grupo ao lado de Sandra em 1983 e, infelizmente, morreu na noite de ontem devido à complicações decorrentes de cirrose.

Ao vivo no Mosh é o primeiro dos três discos lançados pelo Smack; saiu há 30 anos pela Baratos Afins, e assim como os dois posteriores (Noite e dia, de 86; e 3, de 2008) é um mergulho no pós-punk brasileiro, totalmente obscuro e desconhecido do grande público e influenciado tanto pelas bandas mais ‘óbvias’ (Wire, Gang of Four e também pelo Mod sessentista) quanto pela Lira Paulistana e outros artistas do lado maldito da MPB.

Caso não conheça o Smack ou seus contemporâneos, faça uma pesquisa pela rede e descubra como era essa cena, que tinha como habitat lugares como o Madame Satã e outros porões. Caso saiba do que estou falando, apenas aperte o play e vamos juntos prestar uma pequena homenagem ao grande Pamps.

Descanse em paz! O limite é a eternidade…

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s