Tame Impala – Lonerism (2012)

Em 2010 os três moleques australianos do Tame Impala causaram um abalo com um disco de estreia irretocável, chamado Innerspeaker. Com ele trouxeram o melhor do rock setentista para o século XXI, numa trip regada a LSD e um alto grau de honestidade.

Passados dois anos, eis que começam a surgir boatos de um novo álbum dos aussies. Os boatos vão crescendo, se tornam fatos, surge um vídeo no YouTube e está pronto o típico cenário atual: uma boa banda se torna a melhor banda de todos os tempos, ou resumindo, hype.

Lonerism, o tal segundo disco do Tame Impala que sai agora em outubro, via Modular, é o mais recente (até semana que vem, claro) alvo desse fenômeno moderno.

“Elephant”, primeiro single de Lonerism

O que se falou nesse disco nas últimas semanas não tá escrito. Ou melhor, tá sim, no twitter, no facebook e demais redes sociais. Criou-se uma expectativa enorme em relação ao que seria Lonerism, e como quase sempre acontece nesses casos, a frustração também foi grande.

Mas o álbum é ruim, você pode (me) perguntar? Não, longe disso. Lonerism é extremamente espacial e psicodélico, talvez ainda mais que seu predecessor, e vem todo tingido pelas mesmas cores que brilhavam nos anos 60 e 70 (até porque foi produzido pelo mesmo Dave Fridman de Innerspeaker – e dos Flaming Lips). Por que tantos não gostaram então?

Talvez porque a voz de Kevin Parker não soe mais tanto como a de John Lennon (risos). Agora falando sério, os ‘problemas’ de Lonerism são dois: obviamente, o hype e a expectativa gerada por ele; depois, as comparações, extremamente injustas.

Innerspeaker foi um momento único, e como tal o Tame Impala não vai repetí-lo. E, pelo que sinto no novo álbum, não é essa a intenção da banda.

De qualquer forma o único de jeito de se tirar qualquer conclusão é ouvindo Lonerism. Por aqui ele foi muito bem aceito, especialmente sua primeira metade.

Pra resumir o que acho do disco, uso a mesma frase que usei no início do texto para falar de Innerspeaker: com ele trouxeram o melhor do rock setentista para o século XXI, numa trip regada a LSD e um alto grau de honestidade.

Recomendo!

4 comentários sobre “Tame Impala – Lonerism (2012)

  1. Pingback: OS MELHORES DO ANO – 2012: DISCOS INTERNACIONAIS : FLOGA-SE

  2. Pingback: Vídeo – Tame Impala Live @ Coachella (14/04/2013) | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s