GusGus – Arabian Horse (2011)

cs1751887-02a-big

 

A carreira dos islandeses do GusGus pode ser dividida basicamente em dois momentos: o primeiro entre 1995 (quando surgiram) e 1999 (quando lançaram This is normal, seu último álbum pela 4AD); e o segundo de Attention (disco de 2002) até agora.

Isso porque na virada do século o ‘combo’ GusGus – que contava então com nove membros, entre músicos, designers, artistas visuais, etc – foi reduzido a 4 DJs. Musicalmente houve então uma ruptura, e o já mutante grupo perdeu (ou abandonou) a aura indie e mergulhou definitivamente na dance music (ainda que não tão convencional).

Ainda dentro desse segundo momento, outra guinada foi a assinatura com o incensado (não sem motivos) selo alemão Kompakt, por onde lançaram em 2009 o álbum 24/7 e por onde lançam agora em maio seu novo trabalho, Arabian horse.

 

 

De cabo a rabo o disco pega pelos calcanhares e arrasta para a pista de dança gelada criada pelo GusGus em “Believe”, faixa clássica de 1997. Flutuando tranquilamente entre o house (mais) e o techno (menos), as 10 tracks de Arabian horse vêm cobertas de camadas e mais camadas de sintetizadores e têm no recheio muitos vocais, cortesia de Daniel Agust (que cantou na citada “Believe”), Urdur “Earth” Hákonardóttir (na banda desde 2002) e Högni Elisson (do grupo Hjaltalín).

Tanto os synths quanto os vocais ajudam a reforçar o clima old school do álbum (muitas pitadas de acid house), que não acelera muito e não vai – ainda bem – na trilha fácil do frenesi ‘feito para raves’, permanecendo mais próximo ao minimalismo. Por outro lado, as esquisitices que o GusGus apresentou em seus primeiros discos também ficaram de fora, então…

No final das contas, Arabian horse não foge da oscilação entre sofás e pistas que é marca dos islandeses. Mais para dançar, é verdade, mas serve também como um álbum relaxante, de paisagens frias e tranquilas. Tudo depende do seu feeling.

Pode-se dizer que é um disco de fácil digestão, embora isso não significa que fãs de Lasgo e afins irão gostar. É pop, mas não é passageiro.

Recomendado!

 

Anúncios

4 comentários sobre “GusGus – Arabian Horse (2011)

  1. O disco é muito, muito bom. Dubismos siderados flutuando nos ecos e nos synths e muitas, muitas coisas acontecendo no quinto plano, lá no fundo. Recomendadíssimo para audição num (bom) fone de ouvido. Uma maravilha. Abraçón Sr. Fábio, ótimo ver uma das minhas bandas preferidas aqui no PCP!

  2. Pingback: Especial – Os Melhores Álbuns De 2011 « Pequenos Clássicos Perdidos

  3. Pingback: Vídeo – GusGus Live @ KEXP (10/12/2011) « Pequenos Clássicos Perdidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s