Lou Reed – Magic And Loss (1992)

Por Frederico Nercessian (Frederico Nercessian)

‘A vida é boa mas não é justa de maneira alguma’. É com este último verso que Lou Reed terminou a primeira música de Magic and Loss, talvez um dos álbuns que mais marcou minha vida. Em “What’s Good”, canção de abertura do álbum – que por sinal não passou da 80º posição entre os mais vendidos de 92 – o cantor e compositor nova iorquino trouxe a perda de pessoas e mostrou como isso pode tirá-lo dos eixos, trazendo indiferença a tudo e todos.

Esta obra-prima foi composta em homenagem a dois amigos próximos e recentemente falecidos do cantor. Ele estava lidando com as baixas que a vida nos traz e com a raiva por não ser forte o suficiente para impedir que desgraças, como doenças, fossem mais fortes que a tecnologia e os médicos. O mais interessante de tudo é o jogo de palavras que ele foi capaz de oferecer: ao invés de morte, ele utilizou perda, garantindo um significado mais impactante ao álbum.

Em “Magician”, quarta música do disco, Lou coloca questões fortes. Chamo a atenção para ela justamente por me enxergar em cada verso. A conversa gira em torno de uma reflexão com um mágico. Elegante, cruel, fina, bem escrita, ela lamenta a incapacidade do ser humano com decepções e com a perda. Em um pedido de desculpas existencial, ele chama a questão do interlocutor, dizendo estar farto do corpo, de não encontrar explicações e encantos. Ao mesmo tempo, pede um pouco de mágica para continuar vivendo, encontrar um milagre e se mostrar vivo realmente (uma vez que naquele estado ele se considerava morto).

‘Doctor you’re no magician – and I am no believer
I need more than faith … can give me now
I want to believe in miracles – not just belief in numbers
I need some magic to take me away’

Totalmente pessoal, o disco me fez presente justamente à época da morte do meu avô. Eu já havia escutado suas músicas mas ele me fez pensar sobre questões complexas de maneira simples. As letras de Reed trazem reflexão e sentimentos à tona. Se você se interessa por existencialismo, humanidade, guitarras sujas, nostalgia e, principalmente, já perdeu alguém que amava, Magic and Loss é fundamental para os seus ouvidos. Está preparado?

‘I want some magic to sweep me away
Visit on this starlit night
Replace the stars the moon the light – the sun’s gone
Fly me through this storm
And wake up in the calm …
I fly right through this storm
and…I…Wake…Up…In…The…Calm’

Anúncios

Um comentário sobre “Lou Reed – Magic And Loss (1992)

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s