5 Do Mês – Janeiro (2016)

5 do mês

Estreia hoje aqui no Pequenos Clássicos Perdidos nossa primeira coluna, assinada pelo chapa Victor Augusto, colaborador fixo do blogue e chegado numas estranhezas eletrônicas.

No espaço chamado “5 do Mês” o Vitão vai falar um pouco sobre e apresentar cinco novidades contemporâneas do universo blip blóin, sempre com links para ouvir as dicas.

Em sua primeira coluna ele traz techno, garage UK, bass music, footwork e logo de cara…funk carioca fazendo a cabeça dos gringos.

SEGURA A TRIP!

***

Sango

Funk com bass e o gostinho de ‘Brazil’. O americano Sango – que tocou aqui em São Paulo neste mês – traz mais um pouco da sua fusão de funk brasileiro com a bass music (Bass? Future Beats? Chame como quiser). Seguindo o caminho aberto pelo incansável Diplo, Sango é mais um gringo que adpata a crueza do funk pra estética mais suave da música eletrônica americana. Como disse um amigo, quando fomos assistir o próprio tocar na Lion’s, Sango é ‘baile funk pra playboy’. Não deixe isso te afastar, tem coisas interessantes aqui.

***

XOSAR

Techno é a única coisa que faz sentindo em alguns dias. Sério. Quando a vida vem no modo ‘HARD’, ouça alto. A alemã XOSAR entende do riscado. Show yourself, seu novo EP, lançado de maneira independente, traz 4 faixas viscerais. Com 5 segundos da primeira música você já se sente em uma festa estranha num porão de Berlim (ou às 3h da manhã no meio da pista da E. Edge, se você for no dia certo). E a viagem só aumenta.

***

DJ Taye

A morte do DJ Rashad, em 2014, foi um duro baque pro Footwork de Chicago. Rashad até então era o maior exponte do footwork/juke (com um álbum pelo prestigiado selo inglês Hyperdub e uma turnê mundial). O Jimi Hendrix da MPC, como disse um colaborador, adorado por fãs de música eletrônica e por seus companheiros. Absolvido o golpe, a crew de Rashad continua levantando a bandeira do footwork com DJ Taye, um dos mais jovens e promissores membros do grupo, que mostra toda a exuberância e pecularidade do footwork nesse mix pra NTS Radio.

Num tempo em que as divisões entre os gêneros estão ficando obsoletas (ao menos na música eletrônica), esse mix mostra como ser contâmperaneo e eclético sem se perder no meio do processo. Altamente recomendado para todos os públicos.

***

Flava D

Flava D é um dos maiores nomes do Garage UK contemporâneo e mostra todo seu talento nesse mix pra revista britânica FACT. Um pouco de rap, uma pitada de grime e doses exatas de house completam muito bem o mix da inglesa. Flava sabe o que faz. Fique de olho na moça, que tem um projeto colaborativo com os companheiros de selo Royal T e DJ Q (o nome do projeto é TQD e já tem um single).

***

LuckyMe Records

Mantendo a tradição anual, o selo escocês LuckyMe apresenta seu sétimo Advent Calendar, que é um presente do coletivo para os fãs e reúne faixas de artistas como os produtores Hudson Mohawke, Lunice (que juntos formavam o duo de Trap avant garde TNHGT), a queridinha dos hipsters Cashmere Cat e afiliados da gravadora, como o jovem Suicedeyear, DJ Paypal e outros, muitos outros.

A compilação desse ano ficou bem abaixo da de 14/15 (que contém um edit incrível de “Mine”, da Beyonce, feito pelo Machinedrum), mas traz uma coleção interessante de sonoridades experimentais, desde footwork, (DJ PayPal e “No one else”) até a bass music (Lunice com “Look like”). Boa pedida pra quem gosta de experimentação e esquisitices no geral.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s