Mark Lanegan – Imitations (2013)

Mark Lanegan é foda! Não vou gastar seu tempo fazendo aqui um perfil do sujeito, porque pra isso existe a Wikipedia, então vamos direto ao ponto: em 2012 ele lançou o ótimo álbum Blues funeral, e ao invés de passar 2013 colhendo os frutos de seu trabalho, se juntou a Duke Garwood no disco Black pudding e, como se não bastasse, resolveu emprestar seu vozeirão às canções que ouvia com os pais em sua infância, nos anos 60/70.

O resultado é o melancólico e embriagado Imitations.

lançado em setembro via Vagrant Records, este não é o primeiro álbum de côveres de Lanegan (em 1999 houve I’ll take care of you), mas devido à escolha emotiva do repertório pode-se dizer que Imitations é mais confessional.

Entre os intérpretes das doze canções reconstruídas por Lanegan e os 15 músicos que o acompanharam nas gravações estão Frank e Nancy Sinatra (“Pretty colors” e “Youn only live twice”, esta última da trilha sonora de 007); John Cale (“I’m not the loving kind”) e Andy Williams (“Solitaire”, “Lonely Street” e “Autumn Leaves”).

Além dos standards que ouvia nas reuniões de família, Mark também colocou em Imitations versões do ‘irmão sombrio’ Nick Cave (“Brompton Oratory”) e do amigo de copo – e parceiro no Gutter Twins – Greg Dulli (“Deepest Shade”, do projeto Twilight Singers).

Enfim, não tenho gabarito pra comparar (todas) as originais com suas releituras e apontar quais são melhores. Pelas faixas conhecidas – embora creia que seja assim com todas – dá pra dizer que Lanegan imprimiu nelas sua marca, tornando cada uma delas uma pequena história de uma longa e dolorida noite.

Altamente recomendado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s