Bob Mould @ SESC Pompeia (05/10/2013)

Bob Mould no SESC Pompeia
Foto: Scream & Yell

Vou começar este texto usando um jargão batido e chato, mas que diz muito sobre como foi a apresentação de Bob Mould no SESC Pompeia, no último sábado (05 de outubro): ele subiu ao palco com o jogo ganho.

O homem, um dos pilares do rock alternativo desde que o rock se tornou alternativa a si próprio, chegou ao Brasil pela primeira vez para divulgar seu novo trabalho, o ótimo Silver age, mas obviamente trouxe na bagagem parte de sua longa história de serviços prestados à música.

Pra quem não sabe – embora eu creia que todos saibam – Robert Arthur Mould foi vocalista/guitarrista/compositor do Hüsker Dü, banda seminal do underground norte-americano apontada (não sem razão) como peça-chave no que anos depois viria a ser o indie rock (Pixies sem Hüsker Dü? Nem pensar…), que por sua vez daria origem ao Nirvana, etc, etc, etc. E já nos anos 90, com o tal indie rock nascido e se criando, ele formou o Sugar e lançou ao menos um petardo, Cooper blue, em 1992.

Dadas as devidas explicações históricas, vamos ao show. E que show!

Vídeo por Alcoholocrust

Mould veio ao Brasil acompanhado do baixista Jason Narducy, do baterista (do Superchunk) Jon Wurster e de um gás inacreditável para um senhor que completa daqui a uma semana 53 anos. E esta energia parece ter contagiado os técnicos de som da choperia do SESC: nunca assisti nenhum espetáculo por lá com o som tão alto, a ponto de deixar aquele bom e velho zunido nos ouvidos.

Bom, acaba aqui a resenha formal, jornalística.

Porque dos 90 minutos eu me lembro claramente, mas só penso em dizer que foi foda! Foda pra caralho! Se você já leu por aí – os primeiros textos sobre a apresentação de sábado foram publicados ainda na madrugada seguinte ao show, quando eu estava bêbado, meio surdo e em êxtase completo ao lado de pessoas queridas – sabe que o trio liderado por Bob tocou várias músicas do Sugar e do Hüsker Dü (que levaram este velho que escreve a dar mosh como se tivesse 18 anos) além das boas canções de seu último álbum.

Isso tudo você já sabe, mas se não estava lá talvez não saiba dos sorrisos espalhados pelos rostos de toda a platéia, das muitas lágrimas de emoção que rolaram nesses mesmos rostos sorridentes enquanto eles eram esmagados por pés que insistiam não estar no chão, das camisetas encharcadas, das fotos, autógrafos e rápidas ideias com Bob Mould após o show, da dor no corpo que tantos tiozões como eu sentiram no(s) dia(s) seguinte(s), da falta de voz, enfim…

Em uma palavra: FODA!

2 comentários sobre “Bob Mould @ SESC Pompeia (05/10/2013)

  1. Pingback: Bob Mould – Patch The Sky (2016) | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s