Racionais MC’s – Raio X Do Brasil (1993)

 

Nasci e cresci na periferia da zona sul de São Paulo, em um dos tantos micro-bairros surgidos entre o asfalto de Interlagos e a lama do Grajaú, e mesmo tendo vendido minha alma ao rock no início da adolescência, nunca fui cego e muito menos surdo ao que acontecia à minha volta.

Aconteceu com a dance music – acid house, jungle, techno, etc – e, claro, com o insurgente rap, esse também nascido e crescido na perifa. O primeiro contato veio através da coletânea Hip-hop cultura de rua, da qual pouco me lembro, mas é impossível esquecer o impacto causado pela primeira audição de Holocausto urbano, estreia em disco dos Racionais MC’s, de 1990. O álbum trazia faixas como “Pânico na zona sul” e “Hey boy”, e abriu – à base de mensagens diretas rimadas sobre bases simples – a cabeça de muita gente ao rap. Digamos que começou um trabalho, concluído três anos mais tarde quando Mano Brown, Ice Blue, KL Jay e Edy Rock lançaram, via Zimbabwe Records, Raio X do Brasil.

 

 

Produzido por Newton Carneiro, Wander e pelo próprio grupo, o vinil foi lançado oficialmente em uma festa na quadra da escola de samba Rosas de Ouro – tradicional reduto de ‘sambistas de posse’ e bastante longe das quebradas da ZS paulistana, mas enfim…

Raio X do Brasil traz toda a agressividade de Holocausto, com letras igualmente diretas expondo toda a insana lógica que é a vida nos bairros pobres de uma grande cidade. Drogas, violência estatal, preconceito racial e social, tudo dito sem meias palavras ou meias verdades; mas, numa comparação entre os dois discos, Raio X é melhor escrito, com letras mais longas e contundentes. E musicalmente, com samples de Curtis Mayfield, Marvin Gaye, The Meters e Tim Maia enriquecendo as bases para suas rimas, mostra uma evolução dos Racionais também como produtores

 

 

Detalhes estéticos e/ou técnicos à parte, Raio X do Brasil definitivamente tirou o rap dos guetos e tornou o nome Racionais MC’s uma entidade do gênero no país, abrindo caminho para programas de TV – como o Yo MTV -, de rádio e para um sem número de outros rappers, de Gabriel o Pensador a Câmbio Negro.

Dali em diante o ritmo e a poesia deixariam as favelas em direção aos jardins; dessa época, a imagem mais clara (e absurda) que me vem à cabeça é a dos mesmos playboys massacrados por Mano Brown em “Fim de semana no parque” escutando Racionais em suas ‘carangas do ano’, num paradoxo que dura até hoje.

O nosso juri é racional, não falha…

 

Anúncios

3 comentários sobre “Racionais MC’s – Raio X Do Brasil (1993)

  1. Receber no meu e-mail atualizacoes de 1 site onde as pessoas mandam dicas de mbv, sigue sigue sputnik, amps, coletaneas do maluco renato malizia com aqueles psychos shoegazes a la spaceman 3 e seila o que…joy division, beach fossils e no meio de tudo isto ver um comentario tao bacana sobre este play foda do racionais mcs é a prova que quem está por trás disto realmente gosta de música… Cara, como gosto deste wordpress. Sempre boas referencias. Vida longa para vocês… eu tinha parado um pouco de ouvir shoegaze porque sentia que meu tdha mais viagens sonoras me tiravam a todo momento de orbita, porem acho que a vida sem música nao é vida.. Realmente a música nos move! E por falar em viagem, mando uma mistureba maluca de jesus and mary chain com crystal castles e nintendinho 8 bits que faz eu acreditar que referencias de tudo que é lado, pode sair coisas boas hehe… Abraços.

  2. Pingback: Criolo – Nó Na orelha (2011) | PEQUENOS CLÁSSICOS PERDIDOS

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s