Adriana Calcanhotto – O Micróbio Do Samba (2011)

600x600

 

Em seus mais de 20 anos de carreira e sete álbuns, a gaúcha Adriana Calcanhotto por muitas vezes flertou com o samba, mas nunca dedicou um disco inteiro a ele. Até agora.

Em O micróbio do samba (lançado pela Sony), a cantora e compositora expõe em 12 faixas sua visão peculiar da música que veio dos morros, se tornou produto de exportação e gerou – infelizmente – algumas das maiores bizarrices da música brasileira dos anos 90 em diante.

 

 

Deixando de lado essa discussão sobre os caminhos do samba, é preciso reafirmar e avisar aos fãs do gênero que O micróbio do samba (o título vem de uma frase de Lupicínio Rodrigues) não é um disco básico, de samba de raiz ou o que o valha. É Adriana Calcanhotto colocando no mesmo seu jeito de fazer música, infectada pelo tal micróbio sambista, mas também pelo micróbio da bossa, do rock, do tropicalismo.

Com seu violão em primeiro plano, acompanhada pela percussão/bateria de Domenico (Lancelotti), pelo baixo pesado de Alberto Continentino e contando com as participações de Rodrigo Amarante, Davi Moraes, Moreno Veloso e Nando Duarte, Adriana tira a cadência do samba de seu lugar comum, explora as marchinhas (“Tão chic”, “Deixa gueixa”) e põe guitarra distorcida no ‘samba da Bahia’ e vira tropicalista em “Pode se remoer”.

As letras do álbum (que é todo autoral) também subvertem os papéis: saem a mulher passiva e o homem malandro; entram a mulher malandra e o homem…o homem que se vire, como Adriana deixa claro em “Tá na minha hora” (‘não chora, neguinho, não chora’).

 

 

Há também homenagens à outras mulheres (do samba), com “Beijo sem” (gravada por Marisa Monte e Teresa Cristina) e “Vai saber”, feita para Mart’nália e gravada por Marisa no álbum Universo ao meu redor.

O micróbio do samba revela por completo mais uma face de Adriana Calcanhotto, uma das mais talentosas e completas artistas da música brasileira contemporânea, e serve como lição para algumas outras cantoras que recentemente enveredaram pelos caminhos do samba: personalidade é para poucos, diferentemente de lipoaspiração e mini-saia.

Recomendado!

Anúncios

5 comentários sobre “Adriana Calcanhotto – O Micróbio Do Samba (2011)

  1. Pingback: The Sunglasses Specialist » Blog Archive » Mormaii Samba 2008

  2. Pingback: Domenico Lancelotti – Cine Privê (2011) « Pequenos Clássicos Perdidos

  3. Pingback: OS MELHORES DO ANO – 2011: DISCOS NACIONAIS : FLOGA-SE

  4. Pingback: Especial – Os Melhores Álbuns De 2011 « Pequenos Clássicos Perdidos

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s