The Cure – Three Imaginary Boys (1979)

  Engraçado como é diferente escutar agora Three imaginary boys em comparação às primeiras audições do debute do mais que amado Cure. Lá, em algum ponto do comecinho dos anos 90, ainda não tinha mergulhado na fé, pornografia ou desintegração da banda, então músicas como “Another day” e a faixa-título eram o auge das sombras…

The Pop Group – Y (1979)

  O excêntrico Mark Stewart formou o Pop Group em Bristol, em meio a onda punk que varria a Inglaterra e o mundo em 1978, mas embora ‘inserido’ na cena não se identificava com a história dos quatro acordes. Seu buraco era mais embaixo, definitivamente. Em comum com alguns de seus contemporâneos, a veia política…

Swervedriver – Future Ruins (2019)

  É bom pra caralho demais ver uma banda como o Swervedriver na ativa após tanto tempo de existência e com um hiato igualmente longo em meio a seus quase 30 anos de estrada. Melhor ainda é vê-los tocando como se nunca tivessem parado, de uma forma natural, fluída. A despeito do show que fizeram…

Blur – Parklife (1994)

  Eu não gostava de Blur em 1994, quando Parklife foi lançado. Na verdade, em 25 de abril daquele ano eu acabara de completar 18 anos e passava longe de quase todo o britpop, especialmente deles e dos irmãos Gallagher (ok, havia o Pulp, mas aí é outra conversa). Minhas trips eram outras, e nelas…

Rakta – Falha Comum (2019)

  Falha comum, novo disco do trio paulistano Rakta, consolida a banda como uma das coisas mais instigantes e intrigantes do atual cenário alternativo da música mundial. Lançado no dia da mentira e distribuído por quatro selos diferentes (Nada Nada e Dama da Noite no Brasil, La Vida Es Un Mus na Europa e Iron…