Karl Bartos – Off The Record (2013)

Karl Bartos foi entre 1974 e 1991 (ou mais ou menos isso) uma das forças criativas do Kraftwerk, ou seja, o senhor alemão é um dos responsáveis diretos por algumas das maiores obras-primas da música (dos álbuns Autobahn a Electric cafe), o que por si só já dispensa qualquer outro trabalho.

Mas após sua saída do Kraftwerk, Bartos não deixou de lado seu envolvimento com a música. Lançou dois discos com o projeto Elektric Music, um solo (Communication, em 2003) e colaborou com Johnny Marr e Bernard Sumner – do New Order – em um dos álbuns do Electronic. Além disso é professor na Universidade de Artes de Berlim, onde criou o projeto MA in Sound Studies – Acoustic Communication.

Após essa breve biografia, é meu dever apresentá-los ao novo trabalho de Karl Bartos, o disco Off the record.

Lançado em março via Bureau B, o álbum nasceu de uma proposta feita pelo selo a Bartos: eles colocariam no mercado qualquer material que ele tivesse gravado em seus arquivos. No primeiro momento ele recusou, mas depois voltou atrás e decidiu aceitar o convite, contanto que pudesse ‘remixar’ suas próprias gravações.

Karl recolheu então horas de composições e produções feitas fora das sessões com o Kraftwerk (daí o nome Off the record), adicionou, subtraiu, multiplicou e dividiu ideias e todo seu conhecimento quando o assunto é música eletrônica para dar à luz o álbum.

Off the record é então, para aqueles que conhecem a discografia do Kraftwerk, um passeio pelos anos em que Karl Bartos esteve ao lado de Florian e Ralf no seminal grupo alemão. Tudo que fizeram e que serviu como fonte primária para toda e qualquer produção eletrônica nos anos seguintes (industrial, synth pop, electro e todos os sub-gêneros da dance music) está reunido no disco, fragmentado em suas 12 faixas.

Não vou ficar nos muitos detalhes do tipo ‘esse sintetizador/essa batida me lembra essa/aquela música’, apenas em um: ouça “Rhythmus”, lembre-se de “Trans-Europe express” e entenda – novamente – de onde veio “Planet rock”, do grande Afrika Bambaataa.

Recomendado!

2 comentários sobre “Karl Bartos – Off The Record (2013)

  1. Hein, duas coisas:

    1) o Electronic tem três álbuns de estúdio: “Electronic”, o mais pop (91), “Raise the Pressure”, o mais eletrônico e dançante (96) e “Twisted Tenderness”, o mais roqueiro e experimental (99); todos muito bons.

    2) não sabia que esse álbum do Bartos é de canções previamente gravadas… desinformação minha, que publiquei a seguinte resenha sobre o disco:

    http://andnowblog.blogspot.com.br/2013/04/ex-machina.html

    Abração!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s