The Warlocks – Phoenix Album (2002)

  Descobri o Warlocks junto a uma caralhada porção de outras bandas psicodélicas dos anos 2000, quando peguei carona na discografia do BJM para mergulhar fundo nas drogas no universo de correlatos do combo insano de Anton Newcombe. Meu primeiro contato com essa verdadeira orquestra lisérgica de Los Angeles (às vezes chegam a nove membros…

Liars – Liars (2007)

  Eu conheci o Liars exatamente em 2007, exatamente com esse disco, e achei que a discografia anterior deles era exatamente igual. Não podia estar mais enganado. Não sei se por sorte ou azar (ou nada disso) acabei por descobrir a banda do Brooklyn quando eles decidiram fazer um ‘álbum pop’. Me amarrei absurdamente em…

Moose – Jack EP (1991)

  O Moose nasceu em Londres no olho do furacão shoegaze, em 1990, e logo no ano seguinte lançou uma trinca de EPs que colocou a banda como preferida de muita gente que vivia a cena que se auto celebra. Mas mudanças na formação do grupo, um acordo do selo que os distribuía à época…

The Cure – Three Imaginary Boys (1979)

  Engraçado como é diferente escutar agora Three imaginary boys em comparação às primeiras audições do debute do mais que amado Cure. Lá, em algum ponto do comecinho dos anos 90, ainda não tinha mergulhado na fé, pornografia ou desintegração da banda, então músicas como “Another day” e a faixa-título eram o auge das sombras…

The Pop Group – Y (1979)

  O excêntrico Mark Stewart formou o Pop Group em Bristol, em meio a onda punk que varria a Inglaterra e o mundo em 1978, mas embora ‘inserido’ na cena não se identificava com a história dos quatro acordes. Seu buraco era mais embaixo, definitivamente. Em comum com alguns de seus contemporâneos, a veia política…